Associação Brasileira do Agronegócio da Região de Ribeirão Preto
Capital Brasileira do Agronegócio

ÁREA DE ATUAÇÃO

Cássia dos Coqueiros

Cássia dos Coqueiros: turismo inexplorado

Foi em 1830 que um garimpeiro que se dirigia para Minas Gerais, para descansar, se encantou com o local coberto de matas, água abundante e uma topografia que permitia avistar toda a região. O garimpeiro, José Moreira da Silva, decidiu ficar. Solicitou sesmaria ao Governo Imperial. Nascia a Sesmaria da Delícia. Parte das terras foi vendida para os Lopes e Siqueira. As duas famílias é que começaram a povoar a região. O nome composto, Cássia dos Coqueiros, tem uma explicação. Cássia é uma homenagem à cidade italiana homônima e Coqueiros devido à abundancia da espécie na região. Com cerca de 2.950 habitantes, Cássia é um dos municípios com menor área de urbanização da região de Ribeirão Preto, apenas 0,37 km². Do total, pouco mais de 1.200 moram na zona rural.

A densidade demográfica é de 15,04 habitantes por km². Três escolas atendem do maternal ao ensino médio. A infra-estrutura é considerada boa, com 100% da água tratada e esgoto recolhido e tratado. Todas as ruas são asfaltadas. As estradas vicinais também. Na área da saúde, Cássia possui um único posto de atendimento que é de responsabilidade da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto. Um trabalho que começou na década de 60, para a pesquisa sobre o Mal de Chagas e garante aos alunos sexto anistas da faculdade um estágio com contato direto com os pacientes, para conhecer a real demanda da assistência médica. O que não é resolvido na cidade é encaminhado ao HC de Ribeirão Preto, há 70 quilômetros de distância. Pequena, acolhedora e praticamente desconhecida, Cássia dos Coqueiros tem uma legião de fãs.

Na internet, depoimentos são verdadeiras declarações de amor. Quem conhece a cidade, ou melhor, suas matas, sabe o porquê. Cortada por rios e rodeada de matas nativas, as cachoeiras e o mirante são seus maiores atrativos. São cerca de 20 cachoeiras, 13 com boa queda d’água e poço para nadar. A maioria fica em propriedades particulares, afastadas da zona urbana. A mais fácil de encontrar está a cerca de 200 metros da praça central da cidade, onde ao lado está sendo construído um centro de lazer para os habitantes e um ginásio de esportes. Para chegar às outras cachoeiras é só perguntar na praça. Todos conhecem os caminhos. A mais famosa é do Itambé, com 80 metros de queda livre, localizada em uma fazenda cujo proprietário tenta controlar o acesso de visitantes para preservá-la. Mesmo assim, cerca de 400 pessoas, por final de semana, visitam a famosa cachoeira.

Outro destaque, o Mirante da Serra das Areias, que proporciona visão de sete cidades vizinhas dos estados de São Paulo e Minas Gerais. Local excelente para vôo livre. As caminhadas ecológicas são também uma boa pedida. A maioria dos visitantes passa apenas o dia na cidade. A infra-estrutura local ainda é insuficiente. São três campings e duas pousadas, sendo que uma delas poderia facilmente entrar para o “roteiro do charme”. O casarão, que lembra um mosteiro espanhol, está localizado em meio a 35 mil metros quadrados de Mata Atlântica primária, e se debruça sobre um rio caudaloso, com corredeiras, piscinas naturais e cachoeira de 8 metros de altura. Cássia dos Coqueiros é um lugar para se conhecer.

Dados:
363 propriedades sendo 274 com até 50 ha
Semente de braquiária 2.500 ha - 450 kg/ha
Cana-de-açúcar 600 ha
Café 800 ha – 18 sacas/ha
Pecuária de leite subsistência

Fonte: Cati Ribeirão Preto

Setembro/2006

Av. Luiz Eduardo de Toledo Prado, 870 - sala. 510 - Iguatemi Empresarial - Vila Golf - CEP. 14027-250 - Ribeirão Preto - SP
Fone/Fax: (16) 3623-2326 - abagrp@abagrp.org.br