Associação Brasileira do Agronegócio da Região de Ribeirão Preto
Capital Brasileira do Agronegócio

ÁREA DE ATUAÇÃO

Colômbia

Colômbia: a todo vapor

No início do século XX o local onde hoje está o município de Colômbia, no extremo norte do Estado de São Paulo, servia como ponto de travessia do gado proveniente de Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás. Os animais chegavam ao Porto Cemitério, primeiro nome do local, a nado ou em balsas a vapor. Situada entre os rios Pardo, Grande e Velho, Colômbia nasceu a partir da vocação da região: pecuária e agricultura.

Em 1925, quando foi aventada a possibilidade de se estender os trilhos da Companhia Paulista até a região, foi loteada uma fazenda e construída a capela que deu origem à cidade. Em 1928 a estação de trem foi inaugurada e a cidade foi batizada com o nome de Colômbia, uma homenagem a um engenheiro colombiano que trabalhou na montagem do trecho. A emancipação política foi concretizada em 1959. Com 7.500 habitantes, Colômbia sempre teve no campo a base de sua economia e hoje comemora a instalação de sua primeira indústria, uma usina de açúcar e álcool que mudou os “ares” do local, gerou mais de mil empregos diretos e uma forte demanda para o comércio e a construção civil.

A mão-de-obra especializada teve que ser importada para o funcionamento da usina e, sem imóveis disponíveis para alugar, os novos moradores estão provisoriamente morando em hotéis da cidade ou em cidades próximas. Uma vila será construída para abrigar os trabalhadores da Usina Continental. A nova empresa significa mais renda para o município que já conta com 100% de asfalto, iluminação pública, água e esgoto tratados. Na saúde o município é tido como modelo para várias cidades da região. Possui uma unidade mista de atendimento com 16 leitos, salas de cirurgia, e corpo clínico com 12 médicos e 5 dentistas, além de 2 Unidades Básicas de Saúde, um centro de reabilitação e 2 unidades do Programa Saúde da Família.

Só agora, depois da instalação da usina, foram instalados consultórios médicos fora da rede pública. A educação municipal utiliza um método particular de ensino para as crianças de 1ª a 4ª séries. A partir do ano que vem será estendido até a 8ª série, já que todo ensino fundamental estará municipalizado até o final de 2007. Duas escolas de educação infantil atendem crianças menores de 6 anos. Os alunos do ensino médio são atendidos por uma escola estadual. Para aqueles que optaram pelo ensino profissionalizante, ou já estão na faculdade, a prefeitura subsidia o transporte e os incentiva com bolsas de estudos, parciais. Duas grandes festas mexem com a população: a Feira Agropecuária, que acontece em agosto, e o encontro de motoqueiros, no mês de setembro.

A praça central, com diversas lanchonetes, é o ponto de encontro da população e dos turistas que lotam os ranchos e hotéis nos finais de semana em busca de descanso e boa pescaria. A pesca é o meio de sobrevivência de cerca de 250 pescadores profissionais da cidade, organizados em 2 associações. O potencial turístico da cidade é imenso. Já existem cinco hotéis urbanos e um hotel fazenda, além de três portos de pescaria. O Rio Grande é a maior atração. Para incrementar e profissionalizar o turismo local um receptivo está sendo organizado para atender melhor os visitantes e criar mais empregos e oportunidades em Colômbia.

Dados:
Propriedades: 322
Cana-de-açúcar: 22.710 ha 82 ton/ha
Laranja: 2.588.817 pés 4.6 milhões cxs
1.260.627 pés novos
Soja: 4088 ha 36 sc/ha
Sorgo: 800 ha 37sc/ha
Milho: 262 ha 47 sc/ha
Algodão: 466 ha 60.580 arrobas
Horti-fruti: 36 há
Seringueira: 210 mil árvores 1.632.559 kg de coágulo/ano
Seringueira nova: 122 mil
Pastagem: 11.708 ha
Bovinos corte: 6.657 cabeças
Bovinos leite: 2.281 cabeças
Bovinos misto: 1.153 cabeças
Apicultura: 5 mil colméias

Fonte: CATI.

Junho/2007

Av. Luiz Eduardo de Toledo Prado, 870 - sala. 510 - Iguatemi Empresarial - Vila Golf - CEP. 14027-250 - Ribeirão Preto - SP
Fone/Fax: (16) 3623-2326 - abagrp@abagrp.org.br